Capitulo IV

DO CAPITAL

Art. 16º O Capital Social, dividido em quotas-partes no valor de R$ 1,00 (um real), é variável conforme o numero de associados e o de quotas-partes subscritas, não podendo ser inferior a R$ 4.500,00(quatro mil e quinhentos reais).

Art. 17º O Capital será sempre realizado em moeda nacional corrente, sendo as quotas de subscrição inicial e as dos aumentos de capital, realizados 50%(cinqüenta por cento) no mínimo, no ato e as restantes em até 04 (quatro) parcelas.

Art. 18º Para aumento contínuo do Capital da Cooperativa, cada associado integralizará, mensalmente, o valor correspondente a no mínimo, 5% (cinco por cento) do seu salário nominal percebido, exceto a gratificação de natal (13º salário).

Art. 19º Nenhum associado poderá subscrever menos de 30 (trinta) quotas, e nem mais de 1/3 (um terço) do total do capital da Cooperativa.

Art. 20º Toda movimentação das quotas- partes. será lançada nas contas correntes do Livro ou Ficha de Matrícula.

Art. 21º É vedado alienar quotas – partes, ou dá-las em penhor, a associados ou a terceiros, mas seu valor responderá sempre como garantia pelas obrigações que o associado assumir com a Cooperativa, por operações diretas ou a favor de outro associado.

Art. 22º Os herdeiros terão direitos ao capital e mais créditos do associado falecido, conforme a respectiva conta – corrente e o balanço do semestre em que ocorreu a morte, podendo ficar sub-rogado nos direitos sociais do falecido, se de acordo com este Estatuto, quiserem e puderem fazer parte da Cooperativa.