Manual do Cooperado

O que é Cooperativismo?
     O cooperativismo é a união de pessoas voltadas para um objetivo comum sem visar lucro.
     O cooperativismo, como seu próprio nome, tem como seu maior objetivo libertar o homem de seu individualismo e ignorância através da cooperação entre associados, satisfazendo, assim, suas necessidades financeiras.
O que é Cooperativa de Crédito Mútuo?
      Cooperativa de crédito mutuo é uma sociedade constituída entre pessoas, com interesses e objetivos comuns.
      Sua finalidade é prestar serviços de natureza econômica, social e educativa.
Qual a disponibilidade financeira da cooperativa?
     Nem sempre a Cooperativa dispõe de dinheiro suficiente para atender a todos os pedidos do mês. Se todos pedirem ao mesmo tempo, o dinheiro não dará. Neste caso, a Cooperativa levará em consideração, principalmente a quem solicitou primeiro.
O meu capital é remunerado?
     Sim, o capital do associado é individual, ou seja, tudo o que se deposita na Cooperativa é controlado de forma que cada associado sabe quanto possui na Cooperativa, basta que, quando desejar solicite um extrato de sua conta. Este capital é remunerado monetariamente.
Quais as vantagens de uma Cooperativa?
    Benefícios sociais e educativos;
    Liberdade de escolha (compra a vista);
    Crédito rápido;
    Cobertura de emergência;
    Tranqüilidade de saber que é administrada pelos próprios associados;
                Você é dono usuário. 
Como é formado o capital da Cooperativa?
     O associado contribui mensalmente com uma pequena quantia para Capitalização, formando assim, o Capital Social da Cooperativa.
     A soma dessas Capitalizações constitui o montante de recursos que a Cooperativa tem para emprestar.
Há diferença entre Cooperativa e outra Instituição Financeira?
     Há, sim. Mas a principal diferença da Cooperativa está justamente na maneira de fazer empréstimos, pois ela não tem fins lucrativos, pode cobrar juros abaixo do praticado no mercado, e não tem as burocracias (saldo médio, seguro de vida e outros mais.).
Como é administrada a Cooperativa?
    A Cooperativa é administrada através de uma Diretoria Executiva e um Conselho de Administração, tendo o acompanhamento do COnselho Fiscal, todos são associados e eleitos em Assembléia Geral.
A Diretoria recebe algum pró-labore?
      Sim, algumas Cooperativas, quando decidido em Assembléia Geral, isso quando seus administradores dão tempo integral e a Cooperativa tem suporte patrimonial para tanto.
O cooperado pode se retirar da Cooperativa?
     Sim, mas o associado que se desligar da Cooperativa por decisão própria, deverá aguardar a aprovação das contas do exercício anterior pela Assembléia GEral para poder receber seu capital, de acordo com o Estatuto da Entidade.
Basta solicitar empréstimo para ser atendido?
    Não necessariamente. O associado preenche o formulário de empréstimo dizendo o quanto necessita, e forma de pagamento. A cooperativa passa este formulário para análise da Comissão de Crédito, que levará em consideração, entre outras, a capacitação e pagamento do associado e o volume de solicitações em relação aos recursos de capital que a Cooperativa dispõem…
Quem tem direito a empréstimo?
     Todos os associados tem direito a retirar empréstimo na Cooperativa, devendo apenas cumprir as regras estabelecidas em Regulamento Interno da Diretoria. (verificar a margem de desconto no seu contra-cheque e fazer a solicitação prévia).
Quais os órgãos da Cooperativa?
     Assembléias Geral
     Conselho de Administração
     Conselho Fiscal
     Comissão de Crédito 
A Cooperativa é reconhecida por Lei?
    Sim, a Cooperativa é respaldada na Lei 5.764 de 16.12.1971, em Resoluções do Banco CEntral do Brasil, Normas do Conselho Monetário Nacional e seu Estatuto.
    Para existir, precisa de autorização do Banco Central do Brasil, que é o órgão do Governo Federal fiscalizador das Cooperativas de Crédito.
Mais informações.
     A Resolução que disciplinava o funcionamento das Cooperativas de Crédito, (Resolução 1.914 de 18.03.1971), foi modificada pela Resolução 2.771 de 30 de agosto de 2000 em pleno vigor.